Acesso Rápido

Incêndios florestais: Presidente da Câmara realça a importância das Brigadas Autárquicas terem postura de sensibilização e vigilância

Incêndios florestais: Presidente da Câmara realça a importância das Brigadas Autárquicas terem postura de sensibilização e vigilância

O Presidente da Câmara enalteceu e agradeceu a disponibilidade e generosidade dos cerca de 140 voluntários que compõem as Brigadas Autárquicas e de todos os elementos que integram o Corpo de Bombeiros e o Grupo de Intervenção Proteção e Socorro (GIPS) da GNR que estão a postos na defesa da floresta do Município de Pombal.

Durante a apresentação das Brigadas Autárquicas de Voluntários e do Dispositivo de Combate a Incêndios – que decorreu no sábado no Centro de Meios Aéreos de Pombal -, Diogo Mateus realçou a importância de todos “terem uma postura de sensibilização e de vigilância nas várias freguesias”, por forma a que não surjam comportamentos menos adequados.

O conjunto de intervenções no âmbito da floresta que o Município desenvolve ao longo de todo o ano – abertura de estradas e caminhos; identificação de pontos de água; limpeza da floresta, entre outros -, permite que “nos períodos mais críticos estejamos relativamente mais descansados”, disse o autarca.

Segundo o Presidente da Câmara importa que “os cidadãos sintam que trabalhamos todo o ano para este período crítico, e não nos lembramos apenas nas alturas mais complicadas, perigosas e que reclamam mais intervenção”.

O Programa das Brigadas Autárquicas de Voluntários é um projeto de voluntariado, e foi lançado pelo Município em 2007.

Entre 2004 e 2007 as Brigadas Autárquicas de Voluntários funcionaram com apoio financeiro ao nível da alimentação dos vigilantes, a compensação pecuniária pelos dias de vigilância realizados, o apoio ao combustível gasto nos circuitos de vigia e ainda o apoio ao aluguer de viaturas para a vigilância.

O objetivo principal das Brigadas, quando foram criadas, era a “vigilância de espaços rurais com a deteção precoce de incêndios florestais”, objetivo que em 2016 ainda se mantém.

Para 2016 a Missão designada para as Brigadas Autárquicas de Voluntários circunscreve-se ao período crítico, definido anualmente, em que as tarefas passam por Vigiar, Detetar e Apoiar;

Em 2015 e pela primeira vez, todas as brigadas passaram a informar o CDOS da entrada das Brigadas em ações de vigilância, o que permitiu que nesse ano, a presença das brigadas no TO (Teatro de Operações) fosse mais visível e mais conhecida.

Nos dois últimos anos a intervenção rápida das Brigadas permitiu, garantidamente, diminuir a área ardida; Alguns focos de incêndio foram resolvidos pela intervenção imediata, e pronta, destes Voluntários.

Dados Brigadas em 2016 :



A sua opinião conta!

Envie as suas sugestões, reclamações, ideias, projetos. Entraremos em contacto consigo o mais rápido possível.

Enviar
X