Acesso Rápido

Ar

A poluição do ar é causada por uma mistura de substâncias químicas que alteram a constituição natural da atmosfera. Ao serem emitidos para atmosfera, os poluentes degradam a qualidade do ar, põem em risco a saúde das populações, acarretam efeitos nocivos na fauna, na flora e no património construído, assim como provocam a ocorrência de chuvas ácidas, a deterioração da camada de ozono estratosférico, o aquecimento global e as consequentes alterações climáticas.

 

Antes da revolução industrial, as principais fontes de poluição atmosférica eram fenómenos naturais, designadamente: erupções vulcânicas, a ação do vento sobre o solo e os oceanos, os desertos, bem como as florestas e a vegetação. Com o aumento populacional e o desenvolvimento tecnológico foram surgindo outras fontes de emissão de poluentes atmosféricos, sobretudo os que provêm da utilização e queima de combustíveis fósseis a nível industrial e rodoviário.

 

Relativamente aos efeitos nocivos provocados pelos poluentes atmosféricos destacam-se:

 

    • Na saúde humana, problemas ao nível dos sistemas respiratório e cardiovascular;
    • Nos ecossistemas, a oxidação de estruturas da vegetação, que entre outras consequências pode originar a queda prematura das folhas em algumas espécies ou apodrecimento precoce de alguns frutos;
    • No património construído, os poluentes acidificantes atacam quimicamente as estruturas construídas, causando a degradação dos materiais.

 

A redução de emissões poluentes para a atmosfera pode ser alcançada, a nível industrial, através do uso de equipamento e processos produtivos mais avançados, que permitam melhores níveis de eficiência energética, bem como da otimização dos processos e substituição de tecnologias, combustíveis ou matérias-primas. Além disso, o aumento da área arborizada contribui para a fixação do CO2 pela vegetação, reduzindo assim as concentrações deste poluente na atmosfera.

A qualidade do ar é o termo que se usa, geralmente, para traduzir o grau de poluição no ar. Caracteriza-se através da utilização de indicadores diversos, normalmente expressos pela concentração de um dado poluente num determinado intervalo de tempo.

 

Os indicadores mais utilizados são os poluentes primários (emitidos diretamente para a atmosfera), nomeadamente: dióxido de enxofre (SO2), óxidos de azoto (NOx), monóxido de carbono (CO) e partículas totais em suspensão (PTS). Das reações químicas entre estes poluentes resultam os poluentes secundários, destacando-se o ozono troposférico (O3).

 

A gestão e avaliação da qualidade do ar são da responsabilidade das Comissões de Coordenação de Desenvolvimento Regional (CCDR) e da Agência Portuguesa do Ambiente. A CCDR é, igualmente, responsável pelo tratamento dos dados e elaboração do relatório anual de qualidade do ar, bem como pela informação às respetivas autarquias sempre que o valor limiar de informação da população do poluente Ozono é excedido (> 180 =g/m3).

 

Os valores de concentração de ozono quando ultrapassam os 180 =g/m3 (excedências) podem provocar danos na saúde humana, nomeadamente nos grupos mais sensíveis (crianças, idosos, asmáticos, alérgicos e indivíduos com outras doenças respiratórias ou cardíacas), pelo que a população afetada deve adotar as seguintes recomendações:

 

    • Reduzir ao mínimo a atividade física intensa no exterior (sobretudo ao ar livre);
    • Evitar outros fatores de risco, tais como fumar ou contactar/utilizar com produtos irritantes contendo solventes na sua composição (ex.: gasolina, tintas e vernizes);
    • Respeitar rigorosamente tratamentos médicos em curso;
    • Recorrer a cuidados médicos, em caso de agravamento de eventuais sintomas.

 

A exposição ao poluente ozono afeta, essencialmente, as mucosas oculares e respiratórias, podendo o seu efeito manifestar-se através de sintomas como tosse, dores de cabeça, dores de peito, falta de ar e irritações oculares.

 

Os valores de excedências registados, para o concelho de Pombal, podem ser consultados no site http://qualar.apambiente.pt (Leiria – Estação da Ervedeira).

 

O site da Agência Europeia do Ambiente «Ozone Web» (Rede Ozono), disponível em www.eea.europa.eu/maps/, fornece informação sobre poluição por ozono em qualquer região europeia, com dados atualizados hora a hora, a partir dos registos de mais de 500 estações de monitorização, permitindo acompanhar a qualidade do ar à escala local e europeia, quer através da introdução do nome da localidade, quer clicando no mapa da Europa.

Para obter mais informações sobre a qualidade do ar consulte o site www.ccdrc.pt.

 

Curiosidades

    • As maiores emissões de CO2, NOx e partículas em suspensão devem-se aos automóveis. Estes são responsáveis por 65% da poluição atmosférica na Europa;
    • Os europeus passam 85% a 90% do seu tempo em ambientes fechados. Os níveis de poluição do ar interior é duas vezes mais elevado do que no exterior, favorecendo a existência de alergias, enxaquecas, asma e cancro;
    • Segundo vários estudos mundiais, as plantas de interior são importantes auxiliares na luta contra a poluição em recintos fechados;
    • Calcula-se que um corte de 50% na produção de clorofluorcarbonetos (CFC’s) reduziria 95% dos danos na camada de ozono;
    • O Canadá é um dos países mais afetados pelo fenómeno a que se dá o nome de “chuva ácida”, estando mais de 14 mil rios e lagos mortos.

Recomendações para melhorar a qualidade do ar

 

    • Escolha, sempre que possível, o local de residência próximo dos locais de trabalho ou de estudo. Os transportes públicos são, na maioria dos casos, a solução mais económica e ambientalmente correta. Sempre que possível ande a pé e/ou de bicicleta;
    • Partilhe o seu automóvel, com vizinhos, colegas de trabalho, etc.;
    • Não conduza de forma brusca, consome mais combustível e aumenta a poluição. Desligue o motor durante paragens prolongadas;
    • Proceda à afinação regular do seu automóvel e verifique regularmente a pressão dos pneus, evitando o aumento do consumo de combustível e, consequentemente, das emissões atmosféricas;
    • Não transporte pesos desnecessários no seu automóvel. Demasiada bagagem em viagens ou cargas esquecidas aumentam o consumo de combustível. Uma carga extra de 100kg significa um gasto acrescido de cerca de meio litro de combustível em cada 100km;
    • Adapte, quando possível, o seu automóvel a combustíveis de emissão reduzida;
    • Evite a utilização de aparelhos e produtos (sprays) que contenham clorofluorcarbonetos;
    • Prefira as energias renováveis (solar, eólica, biomassa, hídrica, biodisel, etc.);
    • Plante uma árvore todos os anos, por exemplo no Dia Mundial da Árvore (21 de março) ou Dia da Floresta Autóctone (23 de novembro). As plantas removem o CO2 da atmosfera;
    • Os resíduos não devem ser queimados porque, além de ser proibido por lei, emitem poluentes para a atmosfera. Os resíduos de jardim e agrícolas podem ser utilizados como fertilizantes através do processo de compostagem.

Medidas implementadas pelo Município para melhorar a qualidade do ar na cidade de Pombal

 

    • Plantação de árvores e arbustos em espaços verdes do Município e na Serra de Sicó;
    • Criação ou ampliação de áreas dedicadas a espaços verdes (ex.: BioParque da Charneca);
    • Existência do POMBUS – Rede Municipal de Transportes Urbanos, com viaturas adequadas ao transporte de pessoas com mobilidade reduzida e com baixas emissões poluentes (otimização e alargamento do POMBUS em 2015/2016);
    • Existência de políticas de transporte e circulação que visam proporcionar o acesso amplo e democrático ao espaço urbano, através da priorização dos modos de transporte coletivo;
    • Implementação de diversas medidas de acalmia de tráfego na área territorial do Concelho, com vista a reduzir a velocidade de circulação, o tráfego automóvel e, consequentemente, a melhoria da qualidade do ar;
    • Interdição de estacionamento de veículos pesados na cidade;
    • Estacionamento com parquímetro no centro urbano, como forma de incentivar a utilização dos estacionamentos localizados nos limites do centro urbano;
    • Criação de zonas pedonais e de coexistência;
    • Criação de ciclovias;
    • Instalação de estacionamento para bicicletas junto às ciclovias existentes, na zona urbana da cidade e nas proximidades de terminais de transportes coletivos;
    • Limpeza urbana efetuada diariamente, exceto ao domingo;
    • Renovação da frota municipal com a aquisição de viaturas novas e mais eficientes;
    • Serviços e documentos on-line, que permitem efetuar pagamentos, consultas ou aceder a formulários e regulamentos sem sair de casa;
    • Implementação de múltiplos projetos de modernização e inovação tecnológica pelo Município de Pombal, que, em última análise, se traduzem em menos deslocações dos munícipes à cidade de Pombal e, consequentemente, maior redução de tráfego e melhor qualidade do ar;
    • Dinamização de campanhas de sensibilização ambiental dedicadas à problemática da qualidade do ar.
A sua opinião conta!

Envie as suas sugestões, reclamações, ideias, projetos. Entraremos em contacto consigo o mais rápido possível.

Enviar
X