Acesso Rápido
 

Água

Água

Consultar os resultados das análises

2018
  • Resultados do Controlo Analítico da Água Distribuída – 4º Trimestre de 2018

Em Alta – Casal da Rola  (publicado em 15-02-2019) – [Documento em PDF – 184 KB]

Em Alta – Mata do Urso  (publicado em 15-02-2019) – [Documento em PDF – 184 KB]

Em Alta – Ourão  (publicado em 15-02-2019) – [Documento em PDF – 183 KB]

Em Baixa – Casal da Rola (publicado em 15-02-2019) – [Documento em PDF – 184 KB]

Em Baixa – Lagoa de Santa Catarina (publicado em 15-02-2019) – [Documento em PDF – 185 KB]

Em Baixa – Mata do Urso (publicado em 15-02-2019) – [Documento em PDF – 184 KB]

Em Baixa  – Ourão (publicado em 15-02-2019) – [Documento em PDF – 185 KB]

 

  • Resultados do Controlo Analítico da Água Distribuída – 3º Trimestre de 2018
 
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011

Qualidade da água para consumo humano no concelho de Pombal

O Decreto-Lei n.º 306/2007, de 27 de agosto, estabelece o regime da qualidade da água destinada ao consumo humano, procedendo à revisão do Decreto-Lei nº 243/2001, de 5 de setembro, que transpôs para o ordenamento jurídico interno a Diretiva n.º 98/83/CE, do Conselho, de 3 de novembro, tendo por objetivo proteger a saúde humana dos efeitos nocivos resultantes da eventual contaminação dessa água e assegurar a disponibilização tendencialmente universal de água salubre, limpa e desejavelmente equilibrada na sua composição; estabelece ainda os critérios de repartição da responsabilidade pela gestão de um sistema de abastecimento público de água para consumo humano, quando a mesma seja partilhada por duas ou mais entidades gestoras.

 

O Município de Pombal, como entidade gestora de sistemas de abastecimento público:

  • em baixa, deve, tendencialmente, disponibilizar, por rede fixa ou outros meios, água própria para consumo humano devidamente controlada, em quantidade que satisfaça as necessidades básicas da população e em qualidade, na sua área geográfica de influência;

 

  • assegura obrigatoriamente um adequado tratamento da água destinada ao consumo humano e toma as medidas necessárias para garantir a melhoria contínua da qualidade da água fornecida, através de programas de controlo operacional para todos os sistemas de abastecimento;

 

  • deve dispor, no início de cada ano civil, de Programas de Controlo da Qualidade da Água para consumo humano (PCQA), aprovados pela autoridade competente (Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos – ERSAR);

 

  • em baixa, publicita, trimestralmente, através de edital, nas Juntas de Freguesia e nos Edifícios Municipais dos Paços do Concelho e dos Serviços Técnicos, na imprensa local, por nota informativa, e no seu sítio na Internet, os resultados analíticos obtidos na implementação do PCQA. O edital é enviado à autoridade de saúde;

 

  • em alta, faz prova, trimestralmente, junto de entidade gestora em baixa, dos resultados analíticos obtidos na implementação do PCQA, por ponto de entrega;

 

  • deve comunicar os resultados da verificação da qualidade da água para consumo humano obtidos na implementação dos PCQA aprovados à autoridade competente cuja análise resulta na divulgação anual do relatório sobre “Controlo da Qualidade da Água para Consumo Humano em Portugal”, respeitante ao ano anterior. Destaca-se ainda que, por imperativos legais, comunitários e nacionais, os dados constantes do relatório para o abastecimento refletem a qualidade da água na torneira do consumidor. Ora, uma vez que o estado de conservação e higienização das redes prediais pode ter influência negativa nos resultados finais da qualidade da água, os resultados apresentados não refletem exatamente a qualidade da água distribuída pelo Município de Pombal, que será naturalmente melhor.

 

As melhorias verificadas são ainda mais relevantes pelo facto de haver atualmente um controlo da qualidade mais exigente, traduzido num crescente rigor no acompanhamento da implementação da legislação pelos diferentes atores no processo (ERSAR, entidade gestora, autoridade de saúde e laboratórios de análises), numa crescente melhoria da fiabilidade dos resultados analíticos e na realização da totalidade (100%) das análises impostas pela legislação.

 

A água da torneira é efetivamente sujeita a um exigente, rigoroso e permanente controlo da qualidade que cumpre os requisitos legais estabelecidos nas normativas europeias e internacionais, baseados estes nas orientações da Organização Mundial de Saúde, nos melhores conhecimentos científicos e no princípio da precaução. A ERSAR fiscaliza o controlo da qualidade da água efetuado regularmente por todas as entidades gestoras nas torneiras das casas dos consumidores, cabendo também às autoridades de saúde concelhias acompanhar este controlo, emitindo se necessário pareceres sobre eventuais riscos para a saúde.

 

O Plano Estratégico de Abastecimento de Água e Saneamento de Águas Residuais 2007-2013 (PEAASAR II) consagrou para o abastecimento de água o objetivo operacional de 99% de água segura e a Comissão Europeia considera que 99% de cumprimento dos valores paramétricos é sinónimo de cumprimento legal e o patamar de excelência para a qualidade da água destinada ao consumo humano.

 

O Município de Pombal apresenta um bom desempenho, ou seja, uma percentagem de “Água Segura” superior a 99%, podendo afirmar-se que a água na torneira do consumidor, proveniente da rede pública, é de confiança porque, além de estar bem controlada, é de muito boa qualidade. Os resultados obtidos, pela entidade gestora Município de Pombal, revelam níveis de qualidade muito elevados e a restante percentagem é baseada em situações pontuais, objeto de intervenção imediata do Município de Pombal em articulação com a entidade reguladora e a autoridade de saúde, não colocando problemas de saúde pública.

 

Para além do controlo da qualidade da água na torneira do consumidor, o Município de Pombal controla a qualidade da água fornecida em alta, destacando-se o facto da verificação de conformidade ser realizada nos pontos de entrega.

 

O Município de Pombal, enquanto entidade gestora em alta, tem revelado resultados de 100% no cumprimento da frequência mínima regulamentar e superiores a 99% no cumprimento dos valores paramétricos. Estes dados evidenciam que o sistema em alta do Município de Pombal está a fornecer água de excelente qualidade.

 

A gestão da qualidade da água nos sistemas de abastecimento do Município de Pombal integra:

 

  • o controlo da eficiência de tratamento efetuado em pontos de amostragem representativos das operações de processo nas Estações de Tratamento de Água – ETA;

 

  • o controlo em contínuo de parâmetros de qualidade da água, nas ETA;

 

  • o controlo legal realizado em cumprimento dos requisitos legais definidos no Decreto-Lei n.º 306/2007, de 27 de agosto, sendo sujeito à aprovação da Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos – ERSAR;

 

  • o controlo operacional que contempla as campanhas de amostragem e de análise em infraestruturas da rede pública, no sistema de adução/transporte e nas origens de água utilizadas pelo Município de Pombal para produção de água para consumo humano;

 

  • o controlo complementar da qualidade da água realizado no tratamento de reclamações de qualidade da água, no controlo da eficácia de operações de lavagem e desinfeção de condutas e reservatórios, e de descargas/purgas na rede pública, no tratamento de incumprimento de valores paramétricos, de parâmetros de qualidade da água que não são obrigatórios na legislação nacional, etc..

 

De acordo com o Decreto-Lei n.º 306/2007, de 27 de agosto, o Município de Pombal, como entidade gestora, é responsável por controlar a qualidade da água para consumo humano. Contudo, não é responsável pela alteração da qualidade da água devido à falta de manutenção das redes prediais e domésticas.
Em seguida, apresentam-se algumas recomendações para preservar a qualidade da água:

 

  • Não introduza água não tratada (água de poços, minas, furos, etc.) na rede de água da sua habitação;

 

  • Não introduza água não tratada na rede pública uma vez que esta prática é proibida pelo Decreto Regulamentar n.º 23/95, de 23 de Agosto. Para evitar a entrada de água não tratada na rede pública deve instalar dispositivos anti-retorno na rede privada;

 

  • Certifique-se de que os materiais utilizados na rede predial e na rede doméstica, que estejam em contacto com a água, são os mais indicados, de modo a não provocarem alterações na qualidade da água;

 

  • Informe a Divisão de Águas e Saneamento, se fizer alterações na rede predial ou doméstica.

O consumo da água do Município de Pombal é uma opção ecológica porque dispensa embalagem, é económica porque o seu preço é reduzido e é acessível porque está disponível em qualquer torneira perto de si, 365 dias por ano.

Use um recurso natural, equilibrado e ambientalmente sustentável.



A água da torneira é segura e de confiança?

A qualidade da água de abastecimento público da entidade gestora Município de Pombal é garantida pela qualidade da água nas origens, pelos processos de tratamento e pelo exigente, rigoroso e permanente controlo da qualidade ao longo de todo o sistema de abastecimento até à torneira do Cliente.

A água do Município de Pombal é uma água devidamente tratada, de excelente qualidade que cumpre os requisitos legais nacionais e europeus, conforme revelam os resultados obtidos no controlo da qualidade da água na torneira dos consumidores.

O padrão de qualidade da água destinada ao consumo humano define-se por um conjunto de características (parâmetros e respetivos valores paramétricos) fixadas na legislação nacional e europeia com base nas orientações da Organização Mundial de Saúde, nos conhecimentos científicos e no princípio da precaução, podendo esta água ser consumida com segurança.

A Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR) fiscaliza o controlo da qualidade da água efetuado regularmente por todas as entidades gestoras nas torneiras das casas dos consumidores, cabendo também às autoridades de saúde concelhias acompanhar este controlo, emitindo se necessário pareceres sobre eventuais riscos para a saúde pública.

Porque é que por vezes a água da torneira está branca?

A cor branca deve-se à existência de ar dissolvido na água. Esta situação é pontual e passageira, mas importa salientar que a água está própria para consumo.

Pode deixar repousar a água por alguns minutos.

Porque é que por vezes a água cheira a cloro?

O cloro é um desinfetante utilizado no tratamento da água para garantir a qualidade microbiológica da mesma ao longo de todo o seu percurso, desde as Estações de Tratamento, passando pelos Reservatórios e Rede de Distribuição até às torneiras dos Clientes, sem qualquer risco para a saúde pública.

O cloro é adicionado à água em doses baixas mas suficientes para garantir os valores do cloro residual, adequados à manutenção da qualidade microbiológica da mesma, de acordo com o recomendado pela legislação que regula a qualidade da água para consumo humano.

Ocasionalmente, o cheiro e o sabor do cloro podem ser sentidos, aconselhando-se nestes casos a deixar repousar a água por alguns minutos até que desapareça o cheiro e o sabor.

Porque é que por vezes se ouvem ruídos na canalização e a água sai aos jorros?

Após falta de água ou ausência prolongada do local (ex. férias), podem ocorrer ruídos na canalização e ao abrir a torneira a água pode sair aos “jorros”, sendo provocados pela existência de ar nas canalizações.

Aconselhamos a deixar correr a água durante alguns minutos até estabilizar.


O que significa a dureza da água?

A “dureza” na água para consumo humano é causada essencialmente pela presença de sais de cálcio e magnésio, sendo considerada “dura” quando existem valores significativos destes sais e “macia” quando contém pequenas quantidades.

Os níveis de dureza da água do Município de Pombal variam consoante a zona do concelho e não apresentam risco para a saúde do consumidor.


O que é o pH da água?

O valor do pH (potencial hidrogeniónico) traduz a acidez ou a alcalinidade da água. A escala do pH compreende valores entre 0 e 14, sendo que um pH igual a 7,0 indica uma solução neutra.

O pH da água do Município de Pombal cumpre os valores estipulados pela legislação em vigor.


Que fatores podem influenciar as características da água?

A idade e o estado de conservação das canalizações e hidropressores do prédio (caso existam) podem alterar as características da água, concretamente, o sabor, o cheiro e a cor. A temperatura da água também pode influenciar o seu sabor. Quando a água está fresca é mais agradável ao paladar.


Como melhorar as características da água?

  • Lave regularmente as garrafas e recipientes de servir água;
  • Mude regularmente a água dos cubos de gelo;
  • No verão, antes de beber água, deixe correr um pouco para refrescar;
  • Mantenha a água no frigorífico num recipiente tapado;
  • Nos frigoríficos com fabrico de gelo efetue regularmente a limpeza do circuito de água;
  • Não use água quente da torneira para o chá/café, mas sim água fria fervida;
  • A água da torneira deve ser consumida até 24 horas depois de recolhida.
  • Se não for consumida de imediato, a água deve ser colocada em local fresco e protegido da luz solar.
  • Antes de recolher a água para beber deixe-a correr pelo menos 2 a 3 segundos e após um longo período de ausência do seu local de consumo, renove a água que ficou estagnada nas canalizações.
  • Tenha o cuidado de não utilizar recipientes sujos ou de materiais degradáveis para beber ou armazenar água.
  • A torneira deve estar limpa e em bom estado de conservação.


O que deverei concluir da utilização de um “purificador” de água?

A água destinada ao consumo humano tem na sua composição diversos sais minerais e outros compostos que, nas quantidades adequadas, são benéficos para a saúde humana, o que significa que a água que bebemos não deve ser isenta destes compostos.

Uma das demonstrações frequentemente realizadas por algumas empresas fornecedoras de purificadores de água é o da eletrólise da água da torneira, na qual os sais minerais e compostos que existem na água são separados através da corrente elétrica, acumulando-se nos elétrodos colocados dentro da água. A acumulação destes compostos e sais minerais nos elétrodos forma uma película visível, devido à separação dos diferentes elementos químicos naturalmente presentes na água destinada ao consumo humano.

A segunda parte da demonstração consiste, regra geral, em realizar o mesmo procedimento na água filtrada pelo “purificador” que se pretende comercializar. Esses aparelhos recorrem a processos de osmose inversa ou de permuta iónica, onde os sais minerais presentes na água são retidos, pelo que quando ocorre a eletrólise dessa água não se forma a referida película.

Nessas demonstrações pretende-se, por vezes, levar o consumidor a acreditar que a água que chega a sua casa pela rede pública tem uma má qualidade. Na verdade, a osmose inversa, ao eliminar os sais dissolvidos na água, transforma uma água mineralizada e equilibrada no equivalente a água destilada, como a utilizada, por exemplo, no ferro de engomar.

A água purificada por osmose inversa é normalmente utilizada em indústrias farmacêuticas, laboratórios ou outras indústrias que necessitam, em processos fabris, de uma água com elevado grau de pureza, mas não é a mais adequada ao consumo humano. Após a osmose inversa a água terá carências de sais minerais dissolvidos e o seu consumo não é aconselhável, já que, para ter funções biológicas, a água necessita conter sais minerais, como o sódio, potássio, cálcio e magnésio.


Será preciso instalar um equipamento de tratamento da água na torneira da minha casa para melhorar a qualidade da água da rede pública?

Não. A água da torneira é uma água natural devidamente tratada e destinada ao consumo humano, sendo mineralizada e equilibrada e contendo sais dissolvidos em quantidades que são essenciais à saúde.

Em Portugal, a conformidade legal da qualidade da água na torneira dos consumidores é verificada regularmente, pelo Município de Pombal, de acordo com um Programa de Controlo de Qualidade (PCQA) aprovado anualmente pela entidade reguladora (ERSAR). Neste PCQA é definido o número de análises a realizar ao longo do ano seguinte a parâmetros relativos às características organoléticas (cheiro, sabor, cor e turvação), químicas e biológicas da água, atendendo aos valores-limite especificados na legislação. Estas análises são realizadas em pontos representativos das zonas de abastecimento nomeadamente escolas, centro/extensões de saúde por laboratórios acreditados e aptos pela ERSAR.

A implementação do PCQA aprovado, bem como o controlo operacional suplementar que o Município de Pombal realiza no sistema de tratamento e ao longo da rede de distribuição da água, são sujeitos a ações de fiscalização por parte da ERSAR.

Recomenda-se que, em caso de dúvida, e antes de se decidirem pela aquisição de um equipamento doméstico para o tratamento da água, os consumidores afiram, junto das suas entidades gestoras dos serviços públicos de abastecimento de água ou junto da ERSAR, a qualidade da água que têm disponível na torneira. É naturalmente um desperdício de recursos financeiros, técnicos e até ambientais tratar uma água que não necessita desse tratamento.


Qual é a legislação que regula a qualidade da água para consumo humano?

A legislação que o Município de Pombal cumpre em termos da qualidade da água é o Decreto-Lei n.º 306/2007, de 27 de agosto.


O que fazer durante uma seca?

De acordo com o art. 17º do Decreto-Lei n.º 306/2007, de 27 de agosto, o Município de Pombal publicita trimestralmente os resultados analíticos obtidos na implementação do Programa de Controlo da Qualidade da Água, os quais são divulgados nas Juntas de Freguesia e nos Edifícios Municipais dos Paços do Concelho e dos Serviços Técnicos, bem como na Internet – Portal Municipal – (www.cm-pombal.pt) onde poderá consultá-los. Os resultados do controlo analítico da água distribuída são remetidos à Autoridade de Saúde de Pombal e à Câmara Municipal de Soure.

Para conhecer a qualidade da água que abastece a sua zona pode consultar ainda os dados comunicados anualmente no sítio de Internet da ERSAR através da publicação do volume respeitante do Relatório Anual do Sector de Águas e Resíduos em Portugal (RASARP) e da aplicação interativa “Qualidade da água para consumo humano”.

Caso detete roturas, situações anómalas de uso indevido de água da rede de abastecimento público, água com turvação, cor, cheiro ou sabor anormais, contacte imediatamente os Serviços da Divisão de Águas do Município de Pombal, através do nº telefone: 236 210 530 ou do nº telemóvel: 963 590 019 (Piquete de Águas – 24 horas).


Qual é a legislação que regula a qualidade da água para consumo humano?

Redobre os cuidados com a poupança de água.

A seca pode dever-se à ausência ou diminuição de chuva ou, então, à dificuldade ou impossibilidade de fazer chegar a água às nossas casas, campos agrícolas ou indústria.

    • Não encha tanques ou piscinas, pode estar a gastar água necessária a outras pessoas.
    • Feche ligeiramente as torneiras de segurança de modo a diminuir o caudal de água.
    • Em caso de cortes de fornecimento de água armazene só a quantidade que vai necessitar. Se lhe sobrar água não a deite fora, reutilize-a.
    • Durante uma seca a qualidade da água pode deteriorar-se. Em caso de dúvida, ferva-a durante 10 minutos antes de a beber.

AAC


X