Acesso Rápido

Milhares visitaram a XXIII Feira Nacional de Artesanato e Tasquinhas de Pombal

Milhares visitaram a XXIII Feira Nacional de Artesanato e Tasquinhas de Pombal

 

Durante três dias milhares de visitantes de todo o país, visitaram a XXIII Feira Nacional de Artesanato e Tasquinhas de Pombal, que decorreu no Expocentro, e que este ano foi reforçada com a presença de artesãos da Galiza, Espanha.

 

A qualidade dos cerca de 170 expositores presentes (120 artesãos, 29 do sector alimentar e 19 representantes dos vários produtores de Sicó) foi evidenciada por muitos visitantes que se mostraram também agradados com o reforço na animação cultural. Os espetáculos que integraram o programa foram muito participados e aplaudidos, e fizeram com que os visitantes permanecessem mais tempo na feira.

 

A maioria dos artesãos mostraram-se agradados com o certame, alguns deles asseguraram que as vendas superaram as expetativas, havendo outros que esgotaram mesmo os produtos que tinham em exposição.

 

Esta Feira Nacional contou também com a presença de 15 Tasquinhas representando as coletividades e associações das 13 freguesias e Uniões de Freguesia do concelho, que durante os três dias tiveram também uma afluência elevada.

 

Um dos pontos altos do certame deste ano foi a apresentação do Cancioneiro Folclórico do Concelho, uma cerimónia que contou com a presença dos Ranchos que colaboraram nesta edição.

 

A presença do secretário de Estado das Autarquias Locais na sessão de abertura da feira “é uma prova viva deste reconhecimento que as autarquias sempre terão na promoção da nossa cultura, gastronomia, na defesa do nosso artesanato, no fundo naquilo que são os valores que muitas vezes em lutas difíceis, rijas mesmo, que os presidentes de junta, os presidentes das coletividades, dos ranchos, associações e filarmónicas, executivos municipais e assembleias procuram fazer para manter bem viva essa chama, essa memória, essa tradição e essa cultura”, assegurou o presidente da Câmara Municipal, Diogo Mateus.

 

“Esta Feira como tantas outras no país, são a prova que os Municípios sempre estiveram ligados à economia e sempre estiveram ligados aos agentes económicos. Sempre foram eles que promoveram os mercados, feiras e estes certames e fazem-no porque querem que a economia evolua, querem que o seu território seja mais conhecido, mais aberto e com maior visibilidade”, afirmou o secretário de Estado Carlos Miguel, durante a sua intervenção, considerando que a presença de 120 artesãos “demonstra que esta Feira é robusta e importante”.



A sua opinião conta!

Envie as suas sugestões, reclamações, ideias, projetos. Entraremos em contacto consigo o mais rápido possível.

Enviar
X